Ambientação
Todo ser humano necessita de algo em que acreditar para que sua vida tenha algum sentido. Seja em vários deuses ou em um só ou até mesmo na inexistência de qualquer deus. Seja no bem, no mal, na vida após a morte ou em magia. Independente de qualquer que seja a crença, os humanos movem suas vidas em função dela. Entretanto, há um tipo especifico de humanos que têm a magia não como uma crença abstrata, mas como sua maior realidade.

A comunidade bruxa europeia vive em paz há algum tempo, desde que o Ministério conseguiu frustrar os planos da Irmandade das Trevas. Os comensais que sobreviveram ao rompante de raiva de seu chefe foram mandados para Azkaban para receberem o beijo dos dementadores. Porém os aurores não conseguiram capturar o líder da Irmandade, que anda livre pelo mundo já recrutando um novo exercito.

Não diferente, o Ministério da Magia já treina novos aurores para suprir a baixa que foi deixada pela última batalha contra os bruxos das trevas. Os chefes dos departamentos não mais estão fazendo vista grossa para os acontecimentos anómalos que outrora assombraram suas rotinas. O ministro em si se encarrega dos assuntos mais sérios e as pilhas de papeis em sua mesa estão cada vez menores.

Em Hogwarts, os antigos clubes de duelos e de poções foram reativados, mas não com a antiga ideologia de apenas aprendizado e lazer, e sim com a mascarada didática de treinar os alunos em combate, defesa e o que mais for necessário para prepara-los para uma futura batalha contra o mal.

Os sinais estão claros para as autoridades, os bruxos das trevas se movem à surdina e os jovens estudantes do castelo de Hogwarts são preparados para a guerra sem nem mesmo notar. Os dias sombrios estão por vir novamente. Bruxos, empunhem suas varinhas e as segurem bem, pois elas serão suas maiores e melhores aliadas nos dias futuros.
Data on
Ano: 2019
Mês: Dezembro
Novidades

Em breveCampeonato de Quadribol

Últimos assuntos
» [RP] kingdom come
Ter 17 Out 2017 - 21:22 por Edward Fourrié Schwartz

» Tabela de Conversão e Ações de PPH's
Dom 15 Out 2017 - 23:09 por Chronos

» [RP] Seven Nation Army
Dom 15 Out 2017 - 2:27 por Serena D. Cartwright

» [RP] La nostalgie c’est le désir d’on ne sait quoi…
Sab 14 Out 2017 - 17:04 por Joshua B. Connington

» [RP] Work work work
Ter 6 Jun 2017 - 15:36 por Joshua B. Connington

» Votações - Abril e Maio
Seg 5 Jun 2017 - 2:20 por Sarff

» [RP] I have loved the stars too fondly to be scared of the night
Dom 4 Jun 2017 - 10:46 por Anastasia Kinsky

» Solicitação de Missões
Sab 13 Maio 2017 - 20:23 por Chai K. Schwartz

» Liga de Quadribol
Dom 7 Maio 2017 - 19:17 por Sarff

» Sistemas do Fórum
Dom 7 Maio 2017 - 18:04 por Sarff

Staff
Sarff
Danorum
Narrador
Tétis
Manchetes do Profeta
Entrevistacom o Ministro da Magia.
Nóticiassobre a Liga de Quadribol.
Awards
BRANDON CARTWRIGHT
Aluno mais esforçado
IVY SCHWARTZ
Melhor profissional
NIKOLAI DIMITROFF
Drama king
EDWARD SCHWARTZ
O pegador
ANNE & LILY
Melhor dupla
Ksenia & Marijuana
RP mais quente
Parceiros
Créditos
Todo conteúdo contém exclusivamente seus criadores, quaisquer retiradas devem ser creditadas. Este fórum é a terceira geração que se iniciou no Aresto Momentum e depois se tornou Potterhead, seguindo algumas de suas ideologias, sistemas e projetos. Este RPG é feito em nome do PH e toda sua colaboração para o mundo Rpgista Potteriano. Skin feita por Hardrock de Captain Knows Best e adaptada por Danorum.

Licença Creative Commons

Hall de entrada

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Hall de entrada

Mensagem por Danorum em Sex 14 Jun 2013 - 11:44


Hall



Família Villeneuve

@Thay


avatar
Danorum
Data de inscrição :
12/05/2013

Mensagens :
736


RPG » Administrador

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de entrada

Mensagem por Megan B. Lancaster em Qui 3 Out 2013 - 23:45


Por vezes, senti pena do meu pai. Estava tagarelando sem parar desde que o vira na estação. Mas era praticamente automático, não conseguia controlar minha emoção por finalmente estar em casa. Estava perto finalmente dele e de meus irmãos. Depois de quase um ano, os veria.

Não existe lugar como nosso lar é uma frase bastante verdadeira. A mansão parecia emanar mágica de cada centímetro que a compunha. Era algo em demasia perfeição e qualquer descrição se fazia nula. Era um sentimento sem qualquer grau de comparação. Todos os sentimentos confusos e de ira que sentia desde que deixara o castelo da escola se esvaíram.

Meu pai me trouxera no mais harmonioso zelo que se era possível. Ocorrera tudo na mais devida e perfeita ordem e finalmente estávamos em casa. A primeira coisa que fiz foi soltar Ruffles para que voasse em paz e descansasse. Abracei novamente meu pai e me separei dele, indo à procura do restante de minha família. Estava tão feliz, a ponto de subir correndo as majestosas escadas do Hall de entrada.

Comecei a gritar para meus irmãos, os chamando. Estava morta de saudades deles e de tudo o que compartilhávamos, as brincadeiras, os olhares e os melhores abraços, é claro. — BRAN! ARIEEEL! ESTOU DE VOLTAA! —  Sabia que estava fazendo um escândalo por tal motivo, mas nada se comparava a minha saudade com relação aos dois. Mal podia acreditar que estava finalmente em casa.

Me assustei ao ver Yürks surgir magicamente ao meu lado. — Yürks, meu caro, você viu meus irmãos? — O elfo da família me respondeu positivamente e sorriu. Sim, sabia que não era tipico de os adultos o tratarem assim, mas eu o adorava. Era a criatura mais amável deste mundo. Após Suricato, claro.
with: none ~ listening: All American Rejects - Affection~ tagged: 'Cause even when the roses die, there's still some thorns left in your side ~ clothes: aqui ~ where: Mansão Villeneuve
diseñado por shiki @ sourcecode



better a monster,
then an arrogant
god.


avatar
Megan B. Lancaster
Data de inscrição :
12/05/2013

Mensagens :
1084

Idade :
20


Ficha do Personagem
Ano Escolar: Concluído
Patrono: Tourão
Casa: Sonserina
RPG » Comerciante de Hogsmeade

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de entrada

Mensagem por Ariel V. Bringstrow em Sex 4 Out 2013 - 0:48

Taking Chances...

Olhei para o meu reflexo no espelho. Era tão estranho olhar-me. Não exatamente estranho mas, de alguma forma era como se eu soubesse que faltava algo em mim. Os muitos livros estavam jogados no chão e um encontrava-se em minha mãe. "A pequena Sereia" . - Retirei de dentro o pequeno papel, no qual outrora eu escrevi pequenas considerações sobre o livro. Não se vêem muitos meninos de minha idade fazendo isso hoje. Mamãe sempre dizia que eu era um menino á frente de meu tempo. Aliás, era uma ou se não a única coisa que ela me dissera. Ser o filho do meio é como...Como uma Suiça. Ergui o papel diante de meus olhos e li para mim mesmo:-Não, Ariel não fez a escolha errada. As pessoas querem amar e ser amadas. Elas querem mais que isso. Elas querem o transcedente e o carinho sublime. Ariel desejou tudo isso e sonhou com um final feliz que nunca veio. Acho que ela se perguntava sempre porque nascera tão longe e tão impossibilitada dele. Um ato tão belo este de trocar o que mais amava por uma chance de com ele estar. Você não gostaria? Não gostaria de amar ou viver uma história bonita? Quantos hoje trocariam seu maior dom por amor? Quantos trocariam por você? - Parei a contemplar minha face no espelho com olhos serenos. Dobrei o papel e o guardei dentro do exemplar. Pus as mãos nos bolsos e foi quando ouvi os gritos vindos de algum lugar.

Achei estranho e lembrei que estava sozinho em casa com Bran e a babá. Corri voraz de forma a abrir a porta e correr pelo corredor. Cruzei o corredor em poucos segundos e cheguei pé da escada. Bem do alto, acima de tudo e onde me sentia poderoso, olhei para baixo e vi Megan. Minha irmãzinha voltara:-MegLinda! - Disparei escada abaixo e pulei em seus braços. Abracei-a forte. Se havia alguém que eu amava de uma forma a trocar meu maior dom, esse alguém se chamava Megan. Nunca entendi muito o motivo de me sentir tão ligado á minha irmã mais velha. Entretanto quando eu estava com Meg parecia que o mundo podia ser divertido e bom. Ela era um sol na minha vida, ou talvez tudo que me da direção. Não havia medo do escuro, nem de outras coisas quando eu sentia que ela estava ali.

Na ausência ou esquecimento de papai e mamãe, lembro-me de todas as vezes em que ela dera um tapinha, nada mais que isso em minhas costas. Ela apenas me dissera que tudo ia ficar bem, e eu acreditava. Eu poderia fechar meus olhos e cair do lugar mais alto. Se eu estivesse ao lado dela, saberia que uns poucos segundos vivo valeria a pena. Foi um ano difícil. Com papai e mamãe trabalhando e bran na creche, passava a maior parte dos dias sozinho em casa. Não há coisa pior do que olhar pros lados e não ter nada além de si próprio. Apertei-a novamente e deitei minha cabeça em seu ombro:- Eu senti sua falta tanto. Eu te amo.


thanks juuub's @ cp!  




Am I Invisible?
When you were listening to that song on that drive with the people you love most in this world. And in this moment, I swear, we are infinite.  
avatar
Ariel V. Bringstrow
Data de inscrição :
24/09/2013

Mensagens :
5


HOG » Sonserina

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de entrada

Mensagem por Megan B. Lancaster em Dom 27 Out 2013 - 5:22




Ouvir a voz de Ariel foi como um sopro de vida que me preencheu. Esqueci todos os murmúrios e calunias ditos sobre a minha pessoa e me senti flutuar em um mar de calmaria e paz. Tenho que admitir que não era nem de longe a melhor das irmãs. Grande parte do meu tempo estava ocupada sendo “Megan Villeneuve Bringstrow, a filha perfeita” que mal interagia com meus irmãos. Principalmente com Ariel. Talvez por ser a única filha mulher, ou por ser a mais velha, sempre necessitava ser o centro das atenções. Em tudo. E por muitas das vezes, não me importava com os sentimentos dos dois. Na verdade, pouco me importava. Eu só gostava de me fazer valer. De mostrar como eu era a melhor em tudo. Sabia que muitas vezes acabava roubando atenção dos mais novos e depois de um tempo, a culpa sempre chegava arrebatadora.

Fechei os olhos, procurando eternizar o aperto de seu abraço e aquele momento único, em minha mente. O conforto que seu abraço me proporcionava era inigualável. Estar junto a ele me fazia sentir forte. Eu esquecera tudo o que haviam dito sobre mim. Nada mais importava. Eu o idolatrava mais que tudo. Ariel é uma das melhores pessoas que existem nesse mundo. Nossos gostos eram bastante parecidos e eu sabia que com ele eu poderia ser apenas a Meg. Não a monitora, apanhadora e a filha de Jon e Lilith. Apenas a Megan. Aquela que ria de tudo e aproveitava ao máximo o tempo que passava junto a quem realmente importava e amava. Ariel era o meu porto seguro e com ele, cada momento era único e especial. Valia a pena estar ao seu lado.

Também senti muito a sua falta! Te amo muito, pirralho! — Ok, nossa diferença de idade não era algo tão notável, mas o simples fato de poder implicar com ele com relação a isso, já me divertia. Após soltar-me de seu carinhoso abraço, fiz o inevitável. Passei minhas mãos por seu cabelo, bagunçando totalmente seus fios, que até então se encontravam em perfeito alinho. Apesar de seus resmungos e a tentativa de fazer o mesmo comigo — o que, diga-se de passagem, não funcionou, me pus a rir juntamente a ele. — Aprontou muito sem mim por aqui? — Apertei suas fofas bochechas e logo estávamos sentados em um dos degraus da enorme escada. Eu observava atentamente suas expressões e o quanto ele estava diferente, mudado. Sua voz era como uma doce e calma melodia, me fazia sentir deveras feliz.

Logo mais alguns parentes deram o ar de sua graça pelos cômodos da mansão e a calmaria inicial se transformou em conversas e risos altíssimos.  E devido ao grande tumulto que nossa presença na escada estava formando, resolvemos sair dali. Sua mão se estendeu, me oferecendo ajuda. Aceitei-a de bom grado e me levantei. Meu irmão convidou-me para ir até a biblioteca e me juntar a ele, mas declinei de seu convite. Eu gostaria de andar um pouco pelo imenso jardim da mansão e dar mais algumas voltas. Ariel não parecia muito convencido a aceitar meu convite. Após algumas insistências, resolvi por desistir também do passeio. Tinha muito que organizar em minhas malas e pertences para passar o verão todo na mansão.  Bagunçando seu cabelo por mais uma vez, o deixei e sai correndo pela escada, praticamente pulando seus degraus.
with: Brian *-* ~ listening: Katy Perry - Roar~ tagged: 'Cause even when the roses die, there's still some thorns left in your side ~ clothes: aqui ~ where: Mansão Villeneuve
diseñado por shiki @ sourcecode



better a monster,
then an arrogant
god.


avatar
Megan B. Lancaster
Data de inscrição :
12/05/2013

Mensagens :
1084

Idade :
20


Ficha do Personagem
Ano Escolar: Concluído
Patrono: Tourão
Casa: Sonserina
RPG » Comerciante de Hogsmeade

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hall de entrada

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum